Consequencias psicológicas

Todas as camadas da sociedade em todos os países são atingidos psicologicamente por essa crise. Visto que o vírus não escolhe posição social, profissão, nível intelectual, poder aquisitivo, religião ou qualquer outra coisa que nos diferencia.

  • Os adultos preocupados com a insegurança do trabalho: vou perder o emprego? Minha empresa vai falir? Como fazer para pagar as contas? Como comprar a providência necessária do dia-a-dia?
  • As crianças em casa sem saber o que fazer, sem entender o que acontece e os pais sem poder dar assistência adequada devido a preocupação que os domina. Isso faz com que as crianças ficam irritadas, inseguras, tem comportamentos que não são normais para elas.
  • Os jovens  fatigados, inseguros com os resultados da escola, os exames, o futuro.
  • A solidão e o medo da solidão.
  • Se sentir preso em casa, a ideia de não poder sair, não faz bem para nenhum ser humano. Mas não estamos presos, apenas devemos evitar contato com pessoas.
  • Quem vive sozinho de repente não pode mais receber visita nem visitar ninguém. Corre o risco de se isolar.
  • Quem vive com mais pessoas, de repente a casa cheia o tempo todo, para quem tem uma moradia menor e mais moradores, isso pode ser muito pesado para todos.

Em muitas casas aumenta a tensão, a irritação, a insegurança, gerando às vezes pânico e tomada de decisões erradas. Justamente quando mais precisamos manter a calma e pensar claramente, perdemos a calma e não sabemos o que fazer, piorando a situação.

Veja então o que podemos fazer para contornar essas situações, amenizando as consequências negativas e talvez até transformando isso em algo positivo. Veja também a relação de instituições para apoio e informação segura.

O que podemos faser para manter a calma?

Uma característica típica do ser humano é a capacidade de adaptação (assim como o vírus), por isso nos adaptamos com outros costumes, outro país, outra temperatura, etc. Possuímos também o instinto de sobrevivência, a capacidade de aprender, criatividade, sentimentos bons (sim, a maioria das pessoas no mundo inteiro são boas), a perseverança, a fé (maioria das pessoas) e a vontade de ajudar. A situação é preocupante, isso é um fato. Mas precisamos nos cuidar para não ficar apenas no PREocupar mas também nos OCUPARMOS de forma construtiva e eficaz.

Aqui algumas dicas como resultado de todas essas características humanas:

  1. Não nos isolarmos. Não podemos visitar os outros nem receber visitas, mas podemos nos comunicar de várias outras formas. Vamos então fazer uso dos meios de comunicação que temos e procurar as pessoas para conversar, desabafar, buscar e oferecer consolo.
  2. Não sermos egoístas. Se nós estamos com dificuldades, os outros também estão, podemos procurar as pessoas que vivem sozinhas, oferecer ajuda, uma palavra amiga, um par de ouvidos. Pensemos naqueles que faz tempo não encontramos.
  3. Compartilhar. Não apenas nossos problemas, preocupações e dificuldades, isso alivia e devemos fazer. Mas compartilhar também as soluções que encontramos, as ideias boas que tivemos ou aprendemos dos outros.
  4. Quando não conseguimos mais pensar direito, devemos ter uma pausa, tomar um ar livre. Na Holanda os passeios nos parques, bosques e praias são seguros (sem vírus), pois não estamos expostos à multidão. Podemos aproveitar essa oportunidade enquanto for possível e permitido pelas autoridades.
  5. O vírus não está solto no ar mas passa de pessoa para pessoa, e é muito importante andar na natureza, uma forma de terapia. Quanto mais árvores por perto melhor.
  6. Passear com as crianças, deixar as crianças brincar, correr, pular, se sujar nos bosques. Isso vai acalmá-las e ao mesmo tempo você tem um momento de qualidade com seus filhos que vai lhe fazer bem também.
  7. Esses passeios podem ser feitos individualmente, com a família, apenas com os filhos, com amigos para conversar sem riscos com dois metros de distancia, etc. dependendo da situação e necessidade pessoal.
  8. Planejar o orçamento caseiro, ser criativo com os gastos, descobrir formas de economizar.
  9. Quem já está contaminado pode pedir ajuda aos vizinhos aos amigos, para fazer as compras, para jogar o lixo fora, etc.
  10. Ser criativo e econômico também ao cozinhar, não desperdiçar alimento (que amanhã pode faltar), pensar em soluções duráveis e saudáveis. Antes que algo estrague e seja jogado fora, oferecer para alguém.
  11. Quem não sabia cozinhar e sempre comprava pronto, chegou a oportunidade de aprender fazer pratos típicos holandeses que são fáceis, baratos e saudáveis. Mas tem outros pratos também com essas qualidades. É só uma forma de ver o lado positivo.
  12. Os momentos em casa com a família ou outros moradores podem ser a origem de uma nova forma de relacionamentos, pois precisamos aprender a respeitar o espaço do outro, as necessidades do outro e talvez sermos criativos e fazer novos compromissos de como utilizar o espaço no qual vivemos de forma que todos tenhamos mas paz e harmonia.
  13. Podemos aproveitar o tempo em casa para juntos ver um filme ou uma palestra que nos traga bons sentimentos, que nos instrua. Ler algo, conversar com a família.
  14. Procurar ajuda. Frequentemente temos receio de mostrar nossas fraquezas ou dificuldades, porque achamos que devemos resolver tudo sozinhos. Mas isso é uma ilusão. O ser humano foi criado para viver junto, para conviver, isso implica por definição que precisamos um do outro e que podemos ou devemos ajudar uns aos outros.
  15. Evitar notícias negativas sem fundamentos, não acreditar em tudo que lemos ou ouvimos se for negativo, quando não nos ajuda a nos sentirmos melhor não tem valor. Sempre deve haver uma forma de confirmar a informação caso seja importante.
  16. Ultimamente se fala muito sobre a força do pensamento. Pensamento positivo vai nos ajudar a nos sentirmos melhor. E quando nos sentimos bem temos muito mais chances de tomar decisões construtivas.
  17. Existem várias formas de como aprender a dominar nossa mente, aprender a olhar para dentro e ver o que incomoda o nosso íntimo, o que necessitamos e termos coragem de procurar ajuda nos canais positivos, que realmente podem nos ajudar.
  18. Às vezes precisamos deixar costumes e valores antigos para nos abrirmos para algo novo, diferente, e por bom pois seria um aprendizado, uma nova experiência.
  19. Não podemos esquecer que estamos em um país que já superou muitas fases difíceis, como inundações, guerras, crises de vários tipos. De tudo isso aprenderam tolerância e solidariedade, confiança e expertises diversas. Por isso podemos confiar que vamos juntos vencer mais uma crise e sair mais fortes.

Como sempre, quando passamos por alguma crise, quando saímos estamos mais fortes. Assim como quando superarmos esse vírus e a epidemia passar estaremos imune a ele. Seguindo essa linha de pensamento, que é o que aprendemos com a história da humanidade, podemos ter esperança de algo bom no futuro.